Pandemia de COVID-19 por país

Disambig grey.svg Nota: Para o estado do surto em diferentes locais por continente e transporte ao redor do mundo, veja Pandemia de COVID-19.

Este artigo documenta os países afetados e as respostas ao novo coronavírus (SARS-CoV-2), responsável pela pandemia de COVID-19 em todo o mundo e pode não incluir todas as principais respostas e medidas contemporâneas.

Pandemia por continente

Casos confirmados

Em 00h00 UTC de 8 de março de 2021, um total de 116 822 839 casos são confirmados em mais de 187 países e 200 territórios, incluindo 26 navios de cruzeiros. Tem 66 117 757 casos curados e 2 593 073 mortes.

África

Aviadores da Força Aérea dos Estados Unidos descarregam um aeronave C-17 que transportam aproximadamente 4.000 libras de suprimentos médicos em Niamey, Níger no dia 23 de abril de 2020
Ver artigo principal: Pandemia de COVID-19 na África

Os casos foram confirmados na maioria dos países e territórios africanos. Segundo Michael Yao, chefe de operações de emergência da OMS na África, a detecção precoce é vital, porque os sistemas de saúde do continente "já estão sobrecarregados por muitos surtos de doenças em andamento". Os conselheiros dizem que uma estratégia baseada em testes pode permitir que os países africanos minimizem os lockdowns que causam enormes dificuldades àqueles que dependem da renda obtida dia a dia para poderem se alimentar e a suas famílias. Mesmo no melhor cenário, as Nações Unidas afirmam que 74 milhões de kits de teste e Erro Lua: not enough memory. ventiladores serão necessários para o 1,3 bilhões de pessoas do continente em 2020. A maioria dos casos relatados é de quatro países: África do Sul, Marrocos, Egito e Argélia, mas acredita-se que haja uma sub-notificação generalizada em outros países africanos com sistemas de saúde mais pobres. Casos foram confirmadas em todos países africanos como Lesoto, último país que reportou primeiro caso de coronavírus em Maio de 2020. Não há reportado casos nos territórios britânicos Santa Helena, Ascensão e Tristão da Cunha.

Até 15 de maio, foram registradas 55 países, 2 estados com reconhecimento limitado e 1 território com casos confirmados.

América

Ver artigo principal: Pandemia de COVID-19 na América

Até 1 de maio, foram registrados casos confirmados em 35 países e 18 territórios.

América do Norte, Central e Caribe

Uma enfermeira prepara um paciente para um procedimento na unidade de terapia intensiva a bordo do USNS Comfort, um navio hospitalar ancorado em Manhattan.

Os primeiros casos na América do Norte foram relatados nos Estados Unidos em janeiro de 2020. Casos são registrados em todos países da América do Norte, Central e Caribe, depois que São Cristóvão e Névis, confirmou um caso em 25 de março e todos territórios da América do Norte, depois que Bonaire, confirmou um caso em 16 de abril.

Em 26 de março de 2020, os EUA se tornaram o país com o maior número de infecções confirmadas por COVID-19, com mais de Erro Lua: not enough memory. casos. Em 11 de abril de 2020, os EUA se tornaram o país com o maior número oficial de mortes por COVID-19, com mais de Erro Lua: not enough memory. mortes. Em 2 de maio de 2020, o total de casos de COVID-19 era de Erro Lua: not enough memory., com Erro Lua: not enough memory. mortes no total.

O Canadá registrou Erro Lua: not enough memory. casos e Erro Lua: not enough memory. mortes em 4 de maio, enquanto o México registrou Erro Lua: not enough memory. casos e Erro Lua: not enough memory. mortes. A República Dominicana e Cuba são os únicos países do Caribe que relatam mais de Erro Lua: not enough memory. casos (Erro Lua: not enough memory. e Erro Lua: not enough memory., respectivamente), enquanto Panamá e Honduras lideraram a América Central com Erro Lua: not enough memory. e Erro Lua: not enough memory. casos, respectivamente.

América do Sul

Em 19 de março, foram confirmados casos em todos os países da América do Sul. Foram confirmados casos em todos os territórios da América do Sul, como caso foi confirmado em Ilhas Malvinas em 3 de abril.

O coronavírus foi relatado pela primeira vez na América do Sul em 26 de fevereiro, quando Brasil confirmou um caso em São Paulo. Desde então, os governos de toda a região adotaram uma série de ações para proteger seus cidadãos e conter a disseminação do COVID-19. O Brasil registrou Erro Lua: not enough memory. casos de infecção e Erro Lua: not enough memory. mortes em 10 de outubro, atualmente o terceiro país com maior número de casos no mundo.

Os outros países da América do Sul com o maior número de casos são Peru (Erro Lua: not enough memory.), Equador (Erro Lua: not enough memory.), Chile (Erro Lua: not enough memory.), Colômbia (Erro Lua: not enough memory.), Argentina (Erro Lua: not enough memory.) e Bolívia (Erro Lua: not enough memory.). Ilha Bouvet e Ilhas Geórgia do Sul e Sandwich do Sul não relataram nenhum caso até 2 de maio.

Antártida

Até o momento, a Antártica é o único continente ainda não atingido pela pandemia de COVID-19.

Ásia

Desinfecção de trens do Metrô de Teerã contra o coronavírus. Medidas semelhantes também foram tomadas em outros países.
Ver artigo principal: Pandemia de COVID-19 na Ásia

Um conjunto de casos de pneumonia misteriosa foi detectado em dezembro de 2019 em Wuhan eventualmente, se espalhou para o resto da China. Posteriormente, muitos outros países asiáticos começaram a confirmar casos, com alguns dos países mais afetados sendo Coreia do Sul, Turquia e Irã. Vários países, como Índia e Malásia, também sofrem um aumento nos casos após eventos religiosos de reunião nesses países. O modelo sofisticado do surto sugere que, embora o número de casos na China fosse muito maior sem intervenções como detecção precoce e isolamento dos infectados, 66% menos pessoas teriam sido infectadas se a China tivesse implementado medidas tão pequenas quanto uma semana antes. Em 30 de abril, foram registrados casos em todos os países asiáticos, exceto Turquemenistão, enquanto Coreia do Norte possui casos suspeitos. A falta de casos na Coreia do Norte é disputada, dada a sua fronteira compartilhada com a China, enquanto preocupações foram levantadas sobre a capacidade do sistema de saúde de lidar com isso, e fontes afirmaram que o sistema de saúde nunca realmente se recuperou da SARS e do H1N1 nos anos 2000.

Até 1 de maio, foram registrados casos conformados 48 países, três estados com reconhecimento limitado e dois territórios. Um dos últimos países em situação crítica a registrar casos de COVID-19 foi o Iêmen.

Europa

Ver artigo principal: Pandemia de COVID-19 na Europa

Foram relatados casos iniciais na Europa na França e na Alemanha e outros países com número relativamente baixo de casos. Em 21 de fevereiro, ocorreu um grande surto relatado na Itália, principalmente no norte, perto de Milão. Os casos cresceram rapidamente à medida que o surto se espalhou pela Europa. Foram relatados casos em todos os países europeus incluindo Portugal, logo após Montenegro notifica um caso em 17 de março, e em todos os territórios europeus, logo após o território da coroa britânica Ilha de Man em 19 de março, o estado disputado de Transnístria em 21 de março e o território autônomo finlandês Ilhas de Aland em 22 de março. Nenhum caso foi relatado em Svalbard, Alderney e Sark. A OMS declarou a Europa como o novo centro do vírus depois que a situação melhorou na China.

Até 1 de maio, foram registrados casos confirmados em 50 países, cinco estados com reconhecimento limitado e oito territórios.

Oceania

Barricadas marcam uma fronteira fechada entre Nova Gales do Sul e Queensland na Austrália.
Ver artigo principal: Pandemia de COVID-19 na Oceania

O primeiro caso confirmado foi em Melbourne, Vitória, Austrália, em 25 de janeiro. Até agora, muitos pequenos países do Pacífico nações insulares evitaram o surto fechando suas fronteiras internacionais. Em 24 de abril, nenhum caso foi relatado em Samoa Americana (território dos Estados Unidos), Ilha Christmas, Ilhas Cocos (Keeling) (territórios externos da Austrália), Ilhas Cook (estado associado da Nova Zelândia), Kiribati, Ilhas Marshall, Estados Federados da Micronésia, Nauru, Niue (estado associado da Nova Zelândia), Ilha Norfolk (território externo da Austrália), Palau, Ilhas Pitcairn (território ultramarino do Reino Unido), Samoa, Ilhas Salomão, Tokelau (território da Nova Zelândia), Tonga, Tuvalu, Vanuatu e Wallis e Futuna (coletividade ultramarina da França).

Em 2 de maio, dez países soberanos da Oceania não haviam relatado nenhum caso de coronavírus: Kiribati, Ilhas Marshall, Estados Federados da Micronésia, Nauru, Palau, Samoa, Ilhas Salomão, Tonga, Tuvalu e Vanuatu.

Em 5 de maio, Erro Lua: not enough memory. casos foram registrados na Oceania; os cinco países que relatam mais casos são: Austrália (Erro Lua: not enough memory.), Nova Zelândia (Erro Lua: not enough memory.), Guam (149), Polinésia Francesa (58) e Fiji (18). Foram registradas 122 mortes na região: Austrália (95), Nova Zelândia (20), Guam (5) e Ilhas Marianas do Norte (2).

Transporte internacional

O surto se espalhou para vários navios de cruzeiro, incluindo o Costa Serena, o Diamond Princess, o Grand Princess, o World Dream, o MS Westerdam, MS Braemar e entre outros.

Os operadores de cruzeiros começaram a cancelar ou alterar seus itinerários à medida que países em todo o mundo implementaram restrições de viagem para conter a doença. Os portos recusaram a aceitar navios de cruzeiro que foram para portos chineses ou transportam passageiros chineses.

A Associação Internacional de Linhas de Cruzeiros (CLIA), que representa 90% dos operadores de cruzeiros, anunciou as várias medidas de precaução implementadas por seus membros. Todos os passageiros que viajaram ou transitaram pela China (incluindo Hong Kong e Macau) dentro de 14 dias antes do embarque serão impedidos de entrar em navios de cruzeiro. Também será negada a entrada de pessoas em contato próximo com casos suspeitos ou diagnosticados de infecção por coronavírus.

Comparativo entre países

O gráfico abaixo compara o crescimento do número de casos confirmados entre alguns países relativamente ao total de habitantes e nos primeiros 281 dias* desde o início da pandemia em cada país (descontando casos isolados iniciais).

Erro de sintaxeLegenda (por cem mil hab.):

397.75‱ ▬▬ Estados Unidos*

351.68‱ ▬▬ Espanha

332.54‱ ▬▬ França

315.73‱ ▬▬ Portugal

313.49‱ ▬▬ Brasil*

264.34‱ ▬▬ Suécia

255.33‱ ▬▬ Itália

174.19‱ ▬▬ Rússia*

168.88‱ ▬▬ Reino Unido

144.38‱ ▬▬ Dinamarca

126.74‱ ▬▬ Alemanha

107.52‱ ▬▬ Irão

101.70‱ ▬▬ Singapura

009.51‱ ▬▬ Japão

006.00‱ ▬▬ Coreia do Sul

003.40‱ ▬▬ Nigéria*

002.65‱ ▬▬ Mongólia*

000.23‱ ▬▬ Formosa

Notas: (*) ou menos dias, para países com atrasos na divulgação de dados e/ou onde a contagem se inicia depois de 2 de Março de 2020.

Legenda:

Estatística

Ver artigos principais: Casos da pandemia de COVID-19 e Óbitos da pandemia de COVID-19
Total de mortes confirmadas por milhão de COVID-19 através por país e território:
  100+ mortes por milhão de habitantes
  10–100 mortes por milhão de habitantes
  1–10 mortes por milhão de habitantes
  0.1–1 mortes por milhão de habitantes
  0.01–0.1 mortes por milhão de habitantes
  Nenhuma morte ou sem dado

Ligações externas

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre [{{fullurl:Commons:Category:Erro Lua: not enough memory.}}?uselang=pt Erro Lua: not enough memory.]
  • Erro Lua: not enough memory.
  • Corona MAP
  • Erro Lua: not enough memory.
  • Erro Lua: not enough memory.
  • Erro Lua: not enough memory.
  • Erro Lua: not enough memory.
  • Erro Lua: not enough memory.
  • Erro Lua: not enough memory.

Erro Lua: not enough memory.

Uses material from the Wikipedia article Pandemia de COVID-19 por país, released under the CC BY-SA 3.0 license.